sexta-feira, 21 de junho de 2013

Cura de quê?

Fico pensando (e esse pensamento dói)
no quanto algumas profissões são exercidas
de forma leviana, negligente, doente.
Profissão é algo sagrado, meu caro.
Tem a ver com ganha-pão, honestidade,
respeito, realização.
Trabalho sério, principalmente
quando se lida com gente.
Principalmente quando se assenta numa mesa
para criar projetos de lei.
Projetos que não são de lego nem credo,
não se montam como se fossem brinquedo.
Projetos de lei, meu caro,
envolvem também projetos de vida.
Pressupõem gente que lê, que pensa,
que sente, que tem personalidade
e opinião própria.
Gente que sofre, que ama,
que se perde e se encontra,
cai e levanta, ri e chora.
Gente que tem sexo e nem por isso
tem um carimbo dizendo
como é que tem que amar.
Com quem é que tem que se deitar.
Gente que recusa projetos de lei
determinando uma cura absurda.
Que cura, meu caro? Que lei?
Por acaso amor mudou de nome?
Virou doença fazer uma escolha,
abraçar uma identidade,
se jogar nos braços da mulher ou homem amado?
Me fale mais sobre isso.
Deixe-me entender onde é que está a patologia.
No meu consultório é que não está.
Não vejo doença nos olhos do homem
que só tem olhos para outro homem.
Não vejo distúrbio na mulher
que sonha com outra mulher.
Não cometo o equívoco absurdo
de querer curá-los, meu caro.
Prezo o gay que se senta à minha frente
como prezo qualquer outro ser humano
que vem falar das suas dores, feridas, amores.
Basta ser filho de Deus para tê-las aos montes.
Se esse blog fosse um divã, meu caro,
Freud certamente lhe diria:
"Seu tempo acabou."

6 comentários:

  1. Uma lei que teima em adoentar um coracao sadio, uma inteligencia natural...E uma disfuncao de foco....uma disconjuncao de vida! O seu texto e tudo o que eu, se soubesse escrever tao bem, escreveria! Com um sol bem grande em nossos coracoes vamos levando essa vida cheia tudo o que temos, amor, carinho e respeito ao proximo...Abraco.

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz que tenha falado por você, Anônimo. Por você e todos aqueles que seguem a lei do amor, tão legítima e universal.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Ótimo texto, querida!
    Já assinei a petição contra aquele louco que propôs a cura gay. É um absurdo e uma afronta à liberdade e ao direito de ser feliz.
    Grande beijo.

    ResponderExcluir
  4. Ana querida, seu comentário chega cheio de esperança e as melhores energias. Como sempre!
    Beijos carinhosos, cuide-se bem!

    ResponderExcluir
  5. Olá!! Este é um convite para você participar do “Grupo Academia Machadense de Letras”, onde você poderá publicar gratuitamente seus poemas, contos, crônicas, livros, música; textos sobre saúde, releases de CDS e DVDS, eventos, lançamentos, sugestões de filmes, Artes, Shows, teatro, cinema, dança, artesanato... Acesse o link abaixo e no canto superior direito clique em (PARTICIPAR). Grande abraço!
    https://www.facebook.com/groups/149884331847903/

    ResponderExcluir
  6. Honrada e feliz pelo convite, muito obrigada!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir