segunda-feira, 8 de junho de 2009

Solidão

Este sábado tive o prazer de assistir à peça "A alma imoral", adaptada do livro de Nilton Bonder pela talentosa e premiada atriz Clarice Niskier.
A peça é um presente, tanto pelo conteúdo quanto pela forma. Em um instigante monólogo, a atriz se desnuda e se cobre ao refletir sobre o bom e o correto, o apego e o desapego, a traição e a fidelidade. Inusitadamente, abre espaço para que a platéia peça que ela repita alguns trechos de sua fala.
Reproduzo aqui, com as minhas palavras, um de seus pensamentos mais marcantes: "A pior solidão é aquela em que o sujeito não consegue estar consigo mesmo."
(...)
Tenho ouvido muito acerca desta solidão, de todas a mais torturante e avassaladora. Se não há alguém, não se é ninguém. É ficar sem chão, sem rumo, sem tudo. Angústia visceral que cria um buraco enorme na alma.
E você?
Como fica quando está SÓ com VOCÊ?

8 comentários:

  1. Re, eu adoro ficar só com voce!

    ResponderExcluir
  2. Hum, gostei da ambiguidade da frase: só sozinho e só no sentido de exclusivo!...
    Também adoro, principalmente quando não tenho que concorrer com o Galo!...

    ResponderExcluir
  3. Ei Renata... estou ficando viciada no seu blog. É uma espécie de Terapia Online (risos). Os textos são ótimos!
    Eu não sinto necessidade de estar acompanhada e gosto muito de ficar só. Mas solidão... ah, isso eu não sei não!A palavra é meio assustadora. Acho que deve ser bem diferente que ficar sozinho.

    Lá vai um trecho da música "Essa noite não" do Lobão: "...as cortinas transparentes não revelam o que é solitude, o que é solidão..."

    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. esse maridão é um exemplo a ser seguido, hein, Rê?
    Aqui, depois dá uma olhada no que já escrevi sobre o Nilton Bonder no meu blog:
    http://besantanna.blogspot.com/2009/03/fazer-mestrado-em-comunicacao-tem-me.html

    ResponderExcluir
  5. eu ia postar... mas o comentário acima está tão romântico, que eu não me encaixo mais aqui,.. rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  6. Querida Ana Cristina,
    Comentários como o seu me dão ainda mais entusiasmo para escrever!... Confesso que, do lado de cá, também estou bem "viciada"!...
    Interessante a analogia que você fez entre ficar só e sentir solidão. Parece a mesma coisa, mas há uma sutil diferença...
    A gente não escolhe a solidão, não tem a intenção de viver esse isolamento... Já ficar só é algo que pode ser prazeroso, mas remete a um jeito nosso de ficar sozinho, de curtir esse momento...
    Acho que não é à toa que o Lobão fala de cortinas na sua música... Entre a solitude e a solidão, pelo menos um pouco de aconchego para quebrar a dúvida...
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Bacana, Bê! Vou procurar o rabino no seu blog, e depois te conto.
    Abração!

    ResponderExcluir
  8. Ah, Priscilla, agora fiquei curiosa!...
    Beijos

    ResponderExcluir