quinta-feira, 24 de junho de 2010

Doce herança

Ontem me encontrei por acaso com a Cláudia, viúva do Gilson, primo querido do meu marido. Tão querido que eu resolvi adotar como primo também, sem pedir licença nem autorização.
O Gilson era parecidíssimo com o Sidney Magal. Forte, grandão, despachado e descolado, tinha mania de carregar a gente no colo e jogar pro alto, sempre rindo pra vida.
Pois um dia a vida aprontou uma com o Gilson. Câncer no estômago e esôfago, retirada imediata dos órgãos, prognóstico ruim de doer. O médico deu 6 meses de vida. A vida deu mais 6 anos.
E com esta prorrogação abençoada ficou pra gente um Gilson marcado pela alegria de viver, e não pela angústia de morrer.
Claro que ele deve ter sentido medo e angústia, disso eu não tenho dúvida. Mas o que ele passava pra todo mundo era uma força e uma luz que não têm explicação.
Imagine você sem poder comer nada. Imagine não poder tomar um simples copo d´água. Às vezes a secura na boca era tanta que ele pedia um pouco de gelo só pra molhar os lábios.
Ele não podia engolir. E já que não podia, fez questão também de não engolir a doença. Passou a celebrar a vida mais do que nunca. Ia nos visitar e ai de nós se a televisão estivesse ligada. Ele dizia que ver TV era desperdício; o importante era ver um ao outro, perguntar “como vai” de verdade, compartilhar bons momentos. Isso era a vida pra ele.
O tempo foi passando. Perdemos a conta de quantas cirurgias ele fez. Nosso querido Gilson perdeu peso, perdeu a voz mas não perdeu a alegria de viver.
Você pode não acreditar, mas o danado ainda foi pra cozinha fazer pé de moleque pra vender. (O pé-de-moleque mais gostoso que eu já comi em toda a minha vida.)
Já faz alguns anos que ele morreu. E aí eu encontro com a Cláudia na Bendita Gula, toda serelepe (herança maior de alegria que o marido deixou, além dos quatro filhos), pedindo um pedaço de torta de chocolate. É claro que o Gilson também tinha que estar presente:
- Quando eu estava grávida, fazia o ultrassom aqui perto e vinha depois com o Gilson comer essa torta de chocolate! Hoje eu fui fazer um ultrassom –dessa vez pra tirar o útero –, e resolvi vir aqui pra matar saudade!
Essa saudade a gente vai carregar a vida toda. Mas com a alegria e a leveza de saber que agora os anjos é que carregam o Gilson no colo, encantados com o pé-de-moleque que ele anda fazendo lá no céu.

18 comentários:

  1. Renata, a professora Vanice Guedes está orientando a minha monografia, com a minha dupla, Flávia. Peço que vc dê uma olhadinha no seu email do Blog, pois deixei as nossas perguntas da Entrevista em profundidade lá, pois segundo a Vanice, vc pode nos ajudar. Obrigada!!!! Envie uma resposta, obrigada! ASS.: THAÍS ALESSANDRA/ thais_publicidade@yahoo.com.br ou thassandramartins@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Oi querida,

    morri de tanto chorar!
    Texto MARAVILHOSO!

    BEIJOS DA CUNHADINHA ROSI.

    ResponderExcluir
  3. Lindíssimo este texto!
    Voltei na hora certa no blog!
    Estava com saudades das palavras maravilhosas que só vc sabe escrever!!!
    bjs tia
    Carol

    ResponderExcluir
  4. Oi!!Sempre passo aqui pra ler essas delícias que você escreve!Sempre me emociona!Hoje resolvi comentar.Perdi uma amiga recentemente,e seu texto me emocionou mais que de costume!Tenho certeza que os anjos que carregam o Gilson,carregam também a Eli!Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Rosi querida,
    Chorar faz bem pra alma!...
    Beijos carinhosos
    da sua cunhadinha "predileta"

    ResponderExcluir
  6. Saudade de você também, Carol!...
    Some não...
    Abraço carinhoso

    ResponderExcluir
  7. Lu,
    A emoção, assim como a perda, faz parte da vida... Que bom que a gente tem os anjos pra carregar os NOSSOS anjos, não é?
    Abraço carinhoso para você, volte sempre!

    ResponderExcluir
  8. Rê tenho certeza que você também é carregada e orientada pelos anjos...
    Suas lindas palavras transformaram uma realidade em linda poesia.
    Você homenageou ao Gilson e a Claúdia,mulher guerreira e grande companheira.Viveram um grande amor.Tenho certeza que lá de cima ele está te aplaudindo,e muitos outros anjos também!
    Eu daqui comovida,te aplaudo e te mando muitos muitos beijos!!!!!!Você é incomparavelmente linda!!!!!Meu carinho Solange.

    ResponderExcluir
  9. Solange querida,
    Você é um destes anjos que me carregam no colo!
    Obrigada pelo carinho sempre tão presente!...
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Cláudia Winter Lemos30 de junho de 2010 17:36

    Amei suas palavras!!! Você realmente é iluminada,escreve com a alma!!! Amo muito todos vocês dessa familia especial!
    Beijos....

    ResponderExcluir
  11. Cláudia querida,
    Que honra ter você aqui, dando um sabor especial a esta homenagem!
    Também amamos muito vocês!
    Beijos carinhosos

    ResponderExcluir
  12. Nossa! Eu tbm chorei agora...
    Hj me deu na telha de procurar no Orkut a minha querida professora da 4ª série: Cláudia Winter... e não é que achei?!... E eu só soube que ela era ela pq tinha um depoimento com um link para este seu post. Daí lembrei de quando ele aparecia na escola de vez em quando.
    Obrigada por ter me remetido à lembrança desse tempo bom que não volta mais.
    Lindo o seu texto, parabéns!
    Daniela.

    ResponderExcluir
  13. Ei, Renata meu amor,
    Mais uma vez voce me fez chorar, nao sei se de alegria, saudades ou...
    Sei que sinto muita falta de meu irmao, tanta que as vezes me pego chorando sem saber o que fazer, e hoje voce fez isto comigo, te agradeco pelo carinho e o amor que sente por todos nos, saiba que tambem te amo muito.
    Adorei as tuas palavras, voce soube descreve-lo como ninguem.
    Beijos carinhos de tua prima Wal.

    ResponderExcluir
  14. Daniela,

    Costumo dizer que não existem coincidências, mas "Deusidências"!...
    Que bom ter promovido um "reencontro" entre você e a sua professora querida!
    Obrigada pela visita, volte sempre!

    Um grande abraço,

    ResponderExcluir
  15. Você carrega com você pedacinhos importantes do Gilson, querida Wal!... E vice-versa!
    Beijo no seu coração!

    ResponderExcluir
  16. Oi Renata!
    Que achado é esse seu blog! Uma delícia de ler, parabéns!

    Conheci essa família abençoada em 2005, por meio do Gilson. Eu tive a sorte de ser designado para fazer o site da antiga empresa dele e, por causa disso, acabei tendo um contato maior com ele e sua família.

    Hoje, cinco anos depois, eu, praticamente, não saio da casa da Cláudia! Quase todo dia eu passo lá para bater papo com ela, brincar com as crianças, assistir filmes, comer pipoca e, claro, saborear o delicioso bolo de chocolate que ela faz.

    Na verdade eu não sei o que há naquela casa, mas seja lá o que for, imagino que seja algo divino. Tem uma energia ali que me deixa recarregado e com fé na vida. Como você bem disse, o Gilson, além dos quatro filhos, deixou pra Cláudia a alegria de viver que, de alguma forma, contagia a gente também.

    São pessoas especiais assim que nos fazem acreditar em algo superior e que a vida é muito mais do que as coisas que podem ser vistas ou tocadas.

    Que a vida nos permita desfrutar da companhia deles por muitos anos!

    Vida longa ao blog!
    Feliz ano novo pra você...

    Alan Vasconcelos

    ResponderExcluir
  17. Alan,
    Que comentário delicioso, que bom saber da sua presença na vida deles!...
    Diga a Cláudia pra combinarmos um bolo com café na casa dela! Sou fã de chocolate!
    Muito bem-vindo ao blog!
    Abração, Feliz Ano Novo!

    ResponderExcluir